sábado, 13 de agosto de 2016

Fazendo as coisas “gastarem”: a minha lista atual


Postagem inspirada no site Valores Reais (devidamente autorizado)

Todos sabemos o quão importante é economizar. E isso deve ser feito.
O que se faz necessário é entender que economizar não é sempre comprar o bem mais barato, mas sim o que apresente um bom "custo x benefício".

Sem adentrar a qualquer teoria nesse sentido, vamos entender "custo x benefício" como comprar, pelo menor preço possível, algo que me atenderá suficientemente bem, pelo maior tempo possível.
EX: se tenho demanda de impressão em nível empresarial (200 a 300 folhas por dia), aquela impressora caseira (mesmo que excelente), não dará conta. Preciso de uma que suporte essa demanda; ou se eu uso o celular apenas para telefonar, ouvir música, whatsapp e facebook, para que investir nos celulares mais avançados e caros disponíveis, já que serão subutilizados?

Cada vez há mais pessoas no mundo, o que significa mais pessoas consumindo e, consequentemente, mais pessoas "jogando as coisas fora". Só que do ponto de vista global, não existe "fora". As coisas não "somem" do mundo, elas vão para algum lugar, aquí mesmo no nosso planeta e ficarão poluindo ou, na melhor das hipóteses, serão reaproveitadas por outras pessoas (quando as doamos/vendemos) ou por meio de reciclagem - lembrando que, salvo alguns materiais, como as latas de alumínio, esse cenário é exceção.

Independentemente de sua opinão sobre as questões ambientais, nós, investidores, devemos controlar nossos gastos. Uma das maneiras de fazer isso é comprar bem, de forma que as coisas não precisem constantemente substituídas (e sim, muito do que compramos, quando quebra, pode ser arrumado! Você verá exemplos disso).

Como diz o texto que inspirou esse post: "Gaste seus bens até ao ponto de eles se desgastarem – e precisarem, portanto, ser substituídos."

Vamos então à minha lista de coisas compradas há tempos:

#6. Carro. Comprado há 4 meses.

Parece estranho meu carro estar na lista, já que o comprei há pouco tempo, porém não é um bem descartável. Vou ficar com ele até, pelo menos, 2020 (já fiz um aporte de R$ 10k para substituí-lo, mas se puder, ficarei com ele mais tempo).

Comprei um carro bom, com um valor um pouco elevado, mas foi, entre outras coisas pela oportunidade, já que adquiri de um familiar, sei do histórico: está muito novo, nunca sofreu nenhuma batida, nem deu qualquer problema ou foi usado de "maneira extrema".

Tinha um carro 1.0, popular, "velho" (mais de uma década de uso), que estava apresentando problemas de manutenção, não estava confiável, sem qualquer opcional, sem ar-condicionado, nem airbag. Hoje meu carro tem câmbio automático (um conforto e que me traz alguns outros benefícios) e possui airbags e ABS - itens de segurança sempre devem ser considerados (lembre-se, seu carro leva você e/ou sua família).

Como o comprei de uma pessoa da família, estou transferindo apenas esse mês, lá se vão mais R$ 250,00 (taxas de transferência e de reconhecimento de firma e o valor do transporte/estacionamento). O lado bom é que continuo sem qualquer autuação esse ano. Conseguindo esse objetivo até janeiro, consigo economizar uma grana por não desembolsar nada com as multas e consigo um desconto no seguro ;-)

Se for trocá-lo em 2020, pretendo comprar um carro com um pouquinho mais de conforto (bancos de couro, câmbio CVT e, se for viável financeiramente, híbrido) e, principalmente, com mais segurança (mais airbags, controle de estabilidade, de frenagem, essas coisas que realmente valem a pena - eu valho muito hehehe).

Não tenho vontade de ter carro chamativo, por questões de segurança. Única exceção feita a um carro específico, um sonho de consumo, mas quero viajar e dirigí-lo algumas vezes. Se o desejo persistir, comprarei depois da minha casa.

#5. Celular. Comprado há 1 anos e 6 meses * - passou por "cirurgia"

Sempre fui fanático por tecnologia, mas hoje me controlo bem. Em certa ocasião, quando lançou um aparelho "top", fui lá e comprei o meu, à vista (com uns 15% de desconto, mesmo no lançamento). Na época eu ganhava uma grana extra e me permiti fazer essa extravagância financeira (foi a única), realizando o desejo de ter um smartphone "top".

Bem, não me arrependo da compra, mas possivelmente não faria isso de novo, hehehe. Após quase 2 anos de uso, já com uma nova bateria (sim, uso muito, foi necessário trocar e geralmente essa substituição vale a pena), ele desligava sozinho. Não era problema de software. Como já estava bem usado e ainda bastante caro para arrumar, acabei comprando um novo excelente aparelho que, depois de 1 ano e 2 meses de uso, eu derrubei e danifiquei a placa interna. Quando fui levei-o para substituir a peça danificada, não havia placa disponível. É bem difícil arrumar peças para esse aparelho, pois é um aparelho bom, mas que não fez tanto sucesso.

Acabei consertando o aparelho antigo por R$ 200. Agora está funcionando bem, mas como é bastante velho, dá umas travadas e as fotos não ficam tão boas. Essas coisas me incomodam um pouco, por isso estou desembolsei  uns trocados para voltar a usar o aparelho mais novo (e quem sabe vender o antigo por uns R$ 300 e diminuir o prejuízo).

A manutenção ficou em R$ 500,00 - R$ 400,00 um aparelho usado, com a tela danificada e com carregador com tecnologia de carregamento rápido (vale uns R$ 100,00 e é algo muito bom no dia a dia) e R$ 100,00 para substituir as peças. AH! Peguei as peças antigas e vou tentar revender por R$ 50,00 a 100,00 (dá para aproveitar o chip de memória, a câmera, microfones, autofalante, bateria).

O que me incomoda no aprelho mais novo é sua ausência de atualizações, pois ele tem um grande potencial (bom hardware). Atualmente roda android Marshmellow, mas certeza que oficialmente não receberá o Nougatt… Lembram, sou viciado em tecnologia…

Estou pensando noutra possibilidade: vender os dois aparelhos e então, com o valor que eu conseguir, importar um outro, que me atenda por mais algum tempo.

#4. Computador (laptop). Comprado no exterior, há 1 ano e 11 meses.

Usei meu antigo laptop por 6 anos. Com Windows, que me atendeu muito bem, mas morreu. Ainda preciso me desfazer das peças dele (a tela debe valer uns trocados).

Ele já vinha apresentando problemas, então fui juntando umas pratas. Como fui ao exterior , comprei um macbook pro, busquei com boa quantidade de memória e com core i7, a diferença de grana por tais componentes não é grande e me permitirá usá-lo por alguns anos a mais, sem grandes incovenientes.

Realmente gostei muito do sistema e não me arrependo de ter mudado. Some isso ao fato de ter comprado esse aparelho livre de impostos e com o dólar abaixo dos R$ 3,00, bem, deu tudo certo.

O único porém é que se fosse hoje, compraria com ainda mais memória RAM para durar mais tempo ainda (o meu tem 8Gb, deveria ter comprado com 16Gb) e não compraria o pro, mas o air (o pro tem potencia além do que necessito e peso extra).

Ah! Ainda me falta adquirir o Office original. Sim pessoal, não usem software pirata. Sou contra isso. E os aplicativos da apple bem servem, mas quando se vai fazer trabalhos acadêmicos, ou usar algumas planilhas com uns recursos a mais, faz falta o Office. Além disso, o espaço do google drive da minha conta pessoal anda bastante limitante e com o Office, tenho também o serviço de hospedagem de dados de até 1TB.

#3. Tablet. Comigo há 3 anos e 6 meses.

Bem, não o comprei, mas ganhei meu tablet. Excelente, um Galaxy Note 10.1" com 3g.
Na época, eu o utilizava na faculdade e foi útil por um curto período de tempo, acabei voltado ao papel e caneta 😬.

Depois disso, passei a utilizá-lo para consumir conteúdo, por dois motivos principais: (1) a internet era paga pela empresa; (2) ele era bem mais potente que meu smartphone.

Acabei utilizando-o bastante durante viagens intermunicipais de ônibus durante um período e, depois da substituição por um smartphone potente, o tablet ficou encostado, até que nesse ano, está sendo utilizado por minha mãe.

Ess ainda dura, pelo menos, mais uns dois anos.

#2. Televisor. Comprado numa promoção, há 3 anos e 8 meses.

Havia mudado de casa e feito os móveis do meu quarto, da maneira que eu queria, de boa qualidade, bonito e bastante funcional, só não foi lá muito barato, mas os móveis foram comprados há 5 anos e estão aí firmes e fortes, perfeitos.

Bem, voltando, planejei o quarto com uma TV de LED.
Fui juntando dinheiro por 1 ano para comprar uma TV entre 37 e 42" para o meu quarto, pois depois da faculdade compraria um video-game.
Eis que em janeiro encontrei uma bela duma promoção para um aparelho que tinha as especificações que eu queria (taxa de atualização, full HD, mais de 2 entradas HDMI, …) e estava saindo de linha.

Com a grana que juntei, comprei meu televisor a vista, e paguei 50% de outro televisor, que foi meu presente para minha mãe e pro marido dela (que estavam morando juntos há pouco tempo).

O que eu faria diferente hoje? Eu não compraria uma TV com a função smartTV, pois geralmente é ruim para utilizar (pelo sistema). Eu compraria uma sem essas funções e um aparelho que acrescentasse tais funções ao meu televisor (video-game, chromecast, appleTV, raspberry PI, tablet com saída HDMI, etc…). E também não pagaria pela função 3D, raramente a utilizo.

#1. Relógio. Comprado há 6 anos e 8 meses (R.I.P.).

Tinha um relógio bem simples, da casio, com mostrador digital e analógico. Lembro-me, paguei US$ 58,00, num aeroporto, em janeiro de 2010.
Coloquei ele aqui na lista para ilustrar, porque ele dureou até bem pouco tempo e o mecanismo ainda funciona, mas quebraram a pulseira dele esse ano.
Eu já mandei arrumar duas outras vezes, mas o dano (em todas as vezes) foi na caixa do relógio, não tem mais como arrumar (infelizmente) e trocar a caixa custaria quase o preço de um novo. Já gastei R$ 20,00 nas outras manutenções, que valeram a pena, sem dúvidas. Deixei na lista como exemplo, já que ele ainda funciona.

Bem, precisava de outro relógio, mas acabei ganhando um, que por agora me servirá bem. Comprarei um estilo clássico numa próxima viagem ao exterior (ainda sem qualquer previsão para tanto), já que custa entre 35 e 70% do preço daqui e dura muitos anos.

Conclusão

Assim como o amigo do blog Valores Reais, minha lista também é exemplificativa, na qual poderia acrescentar diversos outros itens, como boas camisetas que uso para ir à academia, que foram compradas em 2009.
Aliás, com as roupas, com exceção  deste ano, sou sempre muito econômico. Aquí vale uma dica, a simplicidade tem muito valor (ou, invista em clássicos, sempre te deixam bem e combinam com mais roupas e ocasiões).

As vezes, empregar mais dinheiro em um item de melhor qualidade refletirá em economia, já que a vida útil será maior.

Então reflitam bem antes de fazer as compras, afinal você é a única pessoa que realmente dá valor ao seu dinheiro.

Forte abraço!

24 comentários:

  1. Neste século 21 as pessoas deixaram de consumir as coisas e passaram a ser consumidas por elas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Uorrem. Estou buscando fazer minhas coisas durarem bastante. Vamos ver... Já estou preparado pq daqui uns 4 anos terei que trocar o notebook...

      Excluir
  2. Meu carro é 2007, comprei usado por 43k, hoje na tabela vale 28k (essa tabela FIPE é uma piada, não entrego ele nem por 50k) um sedã Honda, 2.0, banco de couro, automático, air bag, preto, mala gigante, muito espaçoso, eu adoro ele. Sem a mínima necessidade de troca.
    Meu PC e amigo é 2011, um macbook pro, comprado por 1200 dolares a R$1,61, gastei 1500 reais esse ano, coloquei 16g de RAM e acho que 500gb ou 1 tera de memoria, realmente nao lembro. Celular um motorola moto X primeira geração, custou 990 reais há mais de 2 anos, um excelente celular. Roupas comprei no exterior nos ultimos 4 anos em 3 viagens diferentes. Nao sei o que é comprar roupa no Brasil e nem sei opinar. Relógio faz 7 anos que tenho um Fossil com pulseira de couro, custou 150 dolares quando o dolar estava menos de 2 reais. Essa coisa de consumismo não vejo graça, Gosto de comprar coisa boa de fato e que dure.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Frugal Simple.
      Acabei comprando roupas aqui no Brasil após um processo de emagrecimento de mais de 20 Kg e precisava de um terno, mas acho que valeu a pena.
      Relógio ganhei um bom também, mas pulseira de metal. Bonito, mas quero um clássico, de pulseira de couro, pois fica mais elegante quando estou de roupa social. E os dois me bastam.

      Meu note também é um Macbook Pro. Você sabe o quanto dura, nao precisa nem falar.
      Meu celular também é android, não me dou bem com iPhone.

      Quanto ao carro, o meu também é um honda, mas é outro modelo. Realmente veículos muito econômicos de se manter. Manutenção não é cara (pro padrão Brasil). Sinto falta de banco de couro, se for ficar com esse além de quatro anos eu trocarei os bancos, do contrário, não.

      Excluir
  3. Cara...eu comprei um notebook ano passado. Estava apertado e o meu anterior pifou após 5 anos. No desespero comprei o mais barato possivel. Agora o notebook vive dando problema...Não sei se tento segurar a bomba por mais alguns meses ou compro um bom que dure uns 5 anos (nunca mais comprarei coisas mt baratos...o mais barato sai caro no final). O que voce faria no meu lugar? Seguro a bomba mais um tempo ou compro um bem que dure mais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende de como andam tuas finanças e do problema que ele vem apresentando. Se der pra fazer uma manutenção e segurá-lo mais um ou dois anos, faria isso. Sempre adio o máximo possível a troca de eletrônicos, já que todos os meses lançam novos e melhores.
      Tente ver se você tem expectativa para viajar para outros países em que a compra pode sair mais barata.

      Abraço

      Excluir
  4. Opa! Estamos chegando nos 200k também.

    Compartilho das suas opiniões. Compro coisas de qualidade, mas nunca ostentação. Uso até eu ver que existe a necessidade de comprar um melhor. O carro por exemplo quando comprei tinha uma ideia, mas fui ficando com ele e enquanto não estiver me incomodando vou mantê-lo. Carro é uma máquina de jogar dinheiro fora.
    Vou te adicionar nos blogs relacionados, me adicione aí também.
    Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Carro é uma máquina de jogar dinheiro fora." exatamente isso!

      E também busco comprar coisas boas sem ostentar. Aliás, prefiro até coisas (principalmente roupas) sem marca aparente (sem grandes logos), ou extinguir uma relação ou situação jurídica.

      Pode deixar que vou adicionar sim!

      Excluir
  5. Exatamente FPI, analisar o "custo x beneficio" é essencial inclusive para o processo de enriquecimento. A economia é incrivel. E quanto mais dinheiro em caixa, maior é a capacidade de aporte. Conforme prometido, postei hoje minha evolucao patrimonial entre janeiro de 2013 e julho de 2016. Tamo junto. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza vale a pena comprar algo de boa qualidade, o que se reverte em economia.
      Cara excelente sua capacidade de aporte! Parabéns!

      Excluir
  6. Também sigo a mesma ideia FPI: meu carro tem 5 anos já e não pretendo trocar pelo menos por mais 2; notebook tem 3 anos e só precisei trocar a placa uma vez pq fiz cagada, fora isso tá 100%; minha tv é uma smart da samsung e tem 3 anos já sem nenhuma falha. Esses são os principais mas mesmo com roupas, calçados e afins eu gosto de ter sempre mais de um, então revezo e duram bastante.
    Só vou dar o braço a torcer no celular pq o nexus 4 que eu tinha dava umas travadas mas acho q ainda aguentava o tranco. Troquei por um LG G4 e pretendo ficar com ele no mínimo uns 2 anos.

    Att.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Show! Isso é muito bom Investidor Jr.

      A Smart TV eu penso que hoje não vale a pena. É melhor comprar um Chromecast. Se eu for pro Paraguai, comprarei.

      Quanto ao G4, o que achou dele? No meu antigo celular, que tinha bateria removível, comprei uma bateria da marca zerolemon, o celular ficar enorme (dobra a espessura), mas tinha quase 3x a capacidade! Valeu muito a pena

      Excluir
    2. Se fosse hoje eu tb não compraria smart tv. Uma tia cismou de trocar a tv e caiu na conversa de vendedor de loja: mais de 4k a bomba - absurdo.
      Quanto ao G4 por enquanto estou satisfeito, apesar de que há relatos de falha em vários lotes da placa mãe, mas como tenho garantia até dezembro posso mandar trocar até lá.

      flw

      Excluir
    3. Pois é cara, espero que o seu não apresente esse problema! Boa sorte ai!

      Excluir
  7. Post muito bom, eu já tinha lido o do blog valores reais também.
    Eu até estava pensando em trocar meu carro, mas já desisti quando descobri o valor adicional que teria que colocar para comprar um carro no mesmo patamar. Eu tenho relógio Armitron, que paguei $10 nos EUA, o danado está firme e forte.
    Até o final do ano devo comprar um computador novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Show Surfista. Eu apenas troquei pelos motivos expostos. Mas quero não mais trocar, exceto para "comprar segurança".
      Quanto ao relógio, gostei de saber que essa marca é barata e durável. Talvez compre um desse, embora esteja na faixa de $50 os que estão no estilo que eu quero (mais clássico).

      Boa, já pensou que computador irá comprar? A Xiaomi lançou uns legais agora.

      Excluir
  8. FPI, muito obrigado pela citação e pela inspiração pra escrever o artigo!

    Aliás, parabéns pelo excelente conteúdo do artigo e do blog! Ter o controle sobre o consumo de passivos é fundamental para ter sucesso financeiro.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagine Guilherme, eu é quem agradeço!
      Volte mais vezes para visitar o blog!

      Abraço

      Excluir
  9. Fala FPI!

    Cara sempre penso nisso!
    Um blog que me mostrou como eu era consumista é o Extreme Early Retirement. Você já deu uma olhada? Um post que ilustra bem o que eu to dizendo é o que ele compra botas pro resto da vida:
    http://earlyretirementextreme.com/the-last-pair-of-boots-ill-ever-buy.html

    esses são bons também:
    http://earlyretirementextreme.com/the-mini-minimum-wardrobe.html
    http://earlyretirementextreme.com/making-socks-last.html

    Acho que o cara atingiu o ápice do reaproveitamento. Já vi ele falando sobre trocar as rodas da bike de posição porque a de trás gasta 30% mais rápido, entre outros pontos inteligentes bem racionais.

    Belo post,
    Valeu,
    Bons ganhos e um grande abraçoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Burguês, vou dar uma lida, embora tenha bastante dificuldade com inglês :|
      Algumas coisas acho meio exagerado, mas muitas coisas eu mando dar aquele tapa (a exemplo das minhas vestes, incluindo-se os calçados.... Aliás, semana passada peguei um sapato que fiz reviver, e um amigo perguntou se eu mando tudo pra manutenção ou se eu compro algo hehehe).

      Quem utiliza carro, convém fazer um periódico rodízio dos pneus tb (e alinhamento e balanceamento tb), pq assim gastará menos.

      Excluir
  10. "Hoje meu carro tem câmbio automático (um conforto e que me traz alguns outros benefícios)"

    Quais seriam os benefícios além de não usar embreagem caro FPI? Fiquei curioso agora rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que vergonha, não havia visto o comentário. Desculpe.

      Bem, no meu caso, o carro com câmbio automático é mais econômico que o de câmbio manual. Isso já é uma vantagem que considero.
      Além disso, reduz alguns vícios, como dirigir com o pé no pedal de embreagem ou com a mão na alavanca do câmbio, que causam um excessivo desgaste nas peças, elevando os custos de manutenção.

      Creio que seja isso.
      Abc

      Excluir