sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Como eu diminui minha vontade de gastar (editado)

(a parte editada estará em verde)

Gastar o dinheiro dá uma sensação boa, ao menos no primeiro momento. E nós, aportadores, também gostamos dessa sensação, ainda que ela seja sabidamente passageira.

O ato de gastar pode se tornar altamente viciante. Não é a toa que o consumismo vem aumentando dia após dia. E a indústria, e especialmente a equipe de marketing, está nos convencendo de como não podemos viver um só dia sem aquele novo produto ou serviço que eles acabaram de criar. Eles precisam gerar novas demandas pra nos fazerem gastar sem que pensemos a respeito.

Você nem verá o dinheiro indo embora...
Consumir é gostoso e é bom, desde que com moderação. Já escrevi aqui no blog sobre fazer as coisas gastarem mais. Só que isso não é fácil. A vontade de comprar, de consumir, enfim, de gastar está sempre presente, não é mesmo?
No mês passado acabei me descontrolando um pouco e gastando um pouco mais. Somando ao que já tinha gastado esse ano e vinha pagando de maneira parcelada, desastre certo: o aporte estimado era de R$ 1.500,00, mas só consegui aportar R$ 469,75.

Isso "foi bom" pra mim, precisava rever algumas coisas, afinal gastar menos é uma reflexão diária.

Para resolver o problema, resolvi colocar algumas estratégias em prática:

Inicialmente, fiz um melhor planejamento do meu dia e levei as marmitas para o trabalho de forma mais consistente, o que diminuiu meus gastos com alimentação fora de casa.

Depois, como principal estratégia, passei a me expor menos às propagandas.
Como assim, FPI? Lembram que eu escrevi neste mesmo post que a equipe de marketing é especialista em gerar demandas de consumo? Pois bem, afastei-me deles (um pouco mais):

1. Mantive uma distância maior das propagandas para as massas
Eu praticamente não assisto TV aberta (com a TV perde-se muito tempo em troca de pouco ou nenhum benefício), pouquíssima TV fechada ou filmes e séries em geral.
Com isso, as propagandas de massa já não mais me atingem de forma brutal, a todo momento. Menos propaganda = menos sensação de que você precisa daquelas coisas = menos desejo de gastar = mais facilidade para controlar os gastos.
Como bem lembrado pela Ryca (obrigado pela colaboração), é muito bom sair das listas de propagandas dos sites. Acredite, eles são bons em fazerem nós comprarmos o que não precisamos! - uso uma ótima ferramenta que ajuda nesse processo: unroll.me - vale a pena dar uma olhada.

2. Filtrei melhor os conteúdos que eu pesquiso
Já confessei pra vocês que eu gosto muito de tecnologia. Em razão disso, todos os dias eu acesso diversos sites sobre tecnologia, em especial os que falam sobre os últimos lançamentos de smartphones.
Além disso, sempre vejo umas receitas pra fazer coisas saborosas e mais saudáveis, pesquiso viagens (já estou pensando nas próximas, sim, no plural \o/) e algumas coisas sobre carros e motos.
Todo esse comportamento digital é monitorado e usado para vender propaganda direcionada, que é muito mais eficiente para as empresas, já que mostram seus anúncios para o seu público alvo.
Eu mantive minhas pesquisas sobre tecnologia, porque me distrai bastante e gasto uns 15 a 25 minutos por dia, mas eu passei a pesquisar menos coisas "inúteis" para o momento que eu estou vivendo, como viagens, motos, carros, eletrônicos, roupas, entre outras coisas.
Dessa forma, menos propagandas direcionadas foram mostradas pra mim, de forma que me gera menos vontade de gastar. 

3. Mudei meu mindset
Mindset é a sua mentalidade, a sua forma de pensar, sua configuração mental.
Nós temos pensamentos muito arraigados, verdadeiros dogmas (assim como os mitos sobre os carros). O fato é que somos adestrados tapeado ensinados para consumirmos todos os dias, assim como somos expostos às "novas necessidades" todos os dias.
Mudar sua forma de pensar em relação ao consumo não é fácil, mas é bastante necessário e traz resultados.

Eu (praticamente) sempre anoto as coisas que quero consumir e me organizo para a maioria das aquisições (conhecem a lista da semana ou do mês? - se não, é só pedirem ai nos comentários que posto a respeito). Isso evita com que eu compre uma parte dessas coisas, já que passados alguns poucos dias, essa vontade (na verdade o desejo) não mais existe. E quando ela persiste, tenho tempo de analisar se aquilo é mesmo necessário, se posso fazer aquela aquisição, se há boa relação custo x benefício, etc.
Com relação aos serviços, é a mesma coisa. Procuro analisar minha demanda real e, então, buscar o mais barato dentro do que estou procurando (analisando todos os aspectos que eu conseguir, inclusive qualidade).
Tanto é que no final do ano irei redimensionar meu plano de telefonia celular(nem terminei de escrever e a informação já ficou desatualizada) estou mudando de plano de telefonia e tentarei convencer o pessoal de casa que estamos jogando dinheiro fora com o pacote de TV a cabo (pode ser um mais barato + netflix família).

Notaram como eu falei de qualidade? Comprar qualidade é muito bom. Isso evita que você tenha que fazer manutenções constantes, ou mesmo novas aquisições, o que, conjugado com o próximo item, diminui ainda mais minha vontade de gastar. 

4. Já fui vendedor e conheço algumas das "falácias" das vendas


"é melhor você comprar logo, já estão acabando"
Muitos são os truques e as falácias para vendas. Tem cara que vende areia no deserto, é incrível! Vejam esses dois exemplos banais e pensem a respeito:

"Desconto no pacote": não me recordo onde li, mas uma empresa não estava tendo sucesso no seu modelo de negócios para venda de periódicos. Mesmo com um grande desconto nas revistas eletrônicas, as pessoas não assinavam esse produto, e estavam parando de assinar os jornais em papel. Para reverter a situação a equipe de marketing simplesmente acrescentou uma oferta que não existia, mostrando um "grande negócio" para os clientes, que compravam felizes:
Antes era algo assim: impresso $20/mês, digital $10/mês. Com o novo modelo, ficou assim: impresso + digital $22/mês, impresso $20/mês e digital $15/mês.
As vendas aumentaram bastante, pois os clientes pensavam levar dois produtos (tratava-se do mesmo periódico, em versões digital e impressa), sentido que estavam tendo um bom desconto no pacote.

"Promoção só até hoje": essa é muito conhecida. Nada mais é do que gerar o senso se urgência. Os vendedores sabem que se não te capturarem naquela hora, fica muito mais difícil depois, quando as emoções não estão mais a flor da pele.
Ah! Sempre pechincho os preços. Valorizo meu dinheiro. Sei que os vendedores têm uma "gordurinha" pra queimar.


5. Eu celebro as pequenas conquistas

Esta é uma coisa que eu aprendi em casa e que já falei para várias outras pessoas: "celebrar é preciso". Celebrar não é fazer uma grande festa ou comemoração (e com isso gastar uma grana enorme), mas é se permitir uma comemoração em razão de algo relevante que foi alcançado.
Ouvi num desses finais de semana que um amigo somente bebe cerveja um único dia na semana se no final de semana anterior ele esteve com a família, brincou com os filhos e foi à missa. Essa é a celebração dele, tá, é quase um escambo (missa + família x cerveja), mas já é um bom começo.
Eu faço algo um pouco diferente: Eu sempre comemoro meu aniversário. Havendo possibilidade, faço um evento em casa para os mais próximos. Se não puder, saio para comer fora com a família e num outro dia, saio com os amigos. Estando mais apertado, apenas um dia com a família, cada um paga o seu.

Acho importante, dá um ânimo pra seguir mais um ano de vida, cheio de energia.
Quando alcançava algo que foi difícil conquistar, como uma vaga num concurso, a entrega do TCC com boa nota, um novo hábito adequado, eu faço minha pequena comemoração, seja bebendo algo com os amigos, seja um jantar num lugar que eu estava querendo, mas faço questão de marcar aquela conquista.
Dessa forma, me sinto motivado para continuar a poupar, aportar e me manter focado, pois sinto que vale a pena, e fica menos impossível mais fácil seguir com a próxima prática.

6. Tenho perspectivas realistas de longo prazo

Eu traço minhas metas e busco fazer isso de maneira realista. Um critério que as pessoas esquecem de observar é a exequibilidade, ou seja, se é possível executar aquilo que está sendo proposto.
Não adianta pensar que farei 3% a.m., investindo com baixo risco, todos os meses, durante 20 anos pra juntar minha grana... Está um pouco distorcido.

Esse ponto está intimamente ligado com o anterior, pois a cada conquista, a sensação é excelente.

Além disso, para as aquisições mais onerosas (como meu carro e notebook, por exemplo) eu determino um prazo mínimo de tempo que permanecerei com esses bens, e foco nisso todas as vezes em que penso em trocá-los.
Também faço isso com serviços. Como eu já refleti sobre aquilo, sempre repenso se preciso, se há real necessidade, o quanto estou utilizando, entre outras formas, assim, faço um melhor dimensionamento dos serviços utilizados (assim como falei da TV a gato cabo e o telefone celular).

E vocês, fazem alguma coisa para diminuir a vontade de gastar?


50 comentários:

  1. Bom post e boas dicas!
    Mas eu penso um pouco diferente: a melhor forma de parar de gastar é gastar, rs. Eu gastei muito quando jovem - até lá pelos meus 30 anos, tudo que recebia eu queimava, e isto me fez muito bem pois hoje vejo o quão errado eu estava. Bem aventurados serão aqueles que conseguirão enxergar isto antes.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é UO,
      em determinado momento acho q todos nós fazemos besteira, gastamos demais, fazemos várias cag&%# fianceiras. Isso é também muito importante !!! E eu já fiz isso somado à pouca diversificação que eu tinha... Derreti a zero um patrimônio de três dígitos :.(..

      Excluir
  2. Excelente post. Vamos manter a corrente da frugalidade e coerência vivas. Eu aplico a regra 50-30-20.
    Cinquenta porcento do que eu ganho líquido vai para despesas fixas, Trinta por cento vai para aportes e vinte por cento são os meus gastos. Com a mentalidade frugal meus gastos fixos ficam muito abaixo e o excedente vai tudo para aporte. A melhor coisa é indexar tudo. Um outro ponto que utilizo é cartão de crédito um para um. O saldo do cartão que tenho é o que eu tenho pra gastar por mês, acabou, acabou,simples. Sempre cuidando de pagar em dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rato, desculpe responder só agora cara. Acabei pulando seu comentário =/
      Muito interessante essa regra do 50-30-20! O ano q vem quero reduzir mais as despesas pra melhorar o aporte.
      E o ponto q vc falou: frugalidade vs coerência é fundamental. Ele é que ajuda a sustentar no longo prazo.

      Tb sempre pago o cartão em dia. E o total. Mas uso bastante, pois nele vão muitas despesas. E final de ano tem muito aniversário na família e tenho vários eventos sociais que não posso deixar de ir... Isso atrapalha um pouco os aportes

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blogosfera novamente sob o incômodo das pessoas que querem nos tirar do anonimato de graça, já que não estamos aqui para ofender ninguém. Apenas queremos nos manter anônimos para continuar ajudando, continuar escrevendo, continuar postando em paz e vivendo nossas vidas sem torrar a paciência de ninguém.
      Bem, anom hacker juvenil, espero que entenda que as pessoas somente escrevem na blogosfera pela possibilidade do anonimato, lutar para nos expor fará com que guardemos para nós nosso pequeno conhecimento e menos pessoas tenham inspiração para melhorar sua condição financeira

      Excluir
  4. Uma dica boa, e que acho que você já a segue (de acordo com um post seu antigo), é evitar pagamentos de aluguel para quem ainda é jovem. Isso é: morar com os pais ou parentes. É melhor gastar uns 200 a 300 reais com pagamentos de contas, para ajudar na casa dos hospedeiros, do que gastar 1000 reais ou mais com aluguéis. Mas, se for necessário alugar um imóvel, um compartilhamento da mensalidade pode ser uma opção - chamar outras pessoas para morarem de aluguel, também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato Anon, se você tiver bons amigos, pessoas confiáveis, ou for bem desapegado, convém alugar uma casa bem grande, com aluguel alto.
      Calma, não estou doido, explico: casas maiores tem o aluguel por metro quadrado menor e são mais difíceis de alugar (para o locador). Assim ele quer mantê-la alugada, fica mais fácil negociar e geralmente não se compra uma casa grande com a ideia inicial de alugá-la, o que significa que a qualidade costuma ser maior.
      Uma casa com 2 quartos você paga R$1.800/mês. Numa de 5 quartos, você pagaria R$ 3.500/mês.
      Veja, se pensar em cada um ter seu quarto (o que é bem desejável), no primeiro caso seria R$ 900/cabeça e no segundo R$700/cabeça. Se a casa estiver desalugada por um tempo, você pode tentar baixar o aluguel para R$3.000 ou R$3.250, o que seria uma ótima economia. E com chances de ter vagas de garagem para todos, e talvez uma piscina!

      Excluir
  5. Ola FPI,

    Gastar é bom demais mesmo. Sou poupador pois aprendi a nao gastar assim com coisas superfluas.

    Aqui na Europa tenho vida de rico, nao preocupo com preço por estar sendo financiado pela empresa.

    Da vontade de comprar tudo ainda mais usando cartao de crédito.

    Felizmente o ato de comprar renda me deixa mais feliz que coisas superfluas.

    Boas dicas.

    Abraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Na viagem gosto de levar cartão de crédito pré-pago. Além disso, na viagem não podemos acreditar naquele mito que diz que "quem converte não se diverte". Na hora de comer, OK. Na hora de beber, mais ou menos. Mas na hora de comprar, não converte não pra ver...kkk

      Ótima viagem! Abc

      Excluir
  6. Ótimo texto, FPI. Para diminuir cancelei minha TV a cabo. Estava perdendo dinheiro pagando caro para assistir pouco. E meu carro também está a venda.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Cowboy. Se realmente filmes/seriados forem uma forma de entretenimento válida que lhe faça falta (ou à sua família), contrate serviços sob demanda, como netflix e afins (tem outros bons também).
      Sempre destaco isso, pois não adianta nós reclamarmos de corrupção e afins e baixarmos filmes e músicas piratas e coisas afins ;)

      Excluir
  7. Há tempos venho me policiando para diminuir a vontade de gastar. Era bem descontrolada, especialmente logo que comecei a ter o *MEU* dinheiro e perceber que eu poderia gastar onde quisesse.
    No início a sensação era ótima, do tipo "nossa, que coisa maravilhosa poder olhar esse produto e comprar no minuto seguinte, só porque deu vontade e não dependo de ninguém, já que é meu dinheiro."
    E infelizmente isso se distorceu e virou um hábito terrível, hahaha.

    Atualmente uma das regras que eu sigo é se vou continuar querendo comprar depois de alguns dias. Não estipulo prazo nenhum, mas se senti muita vontade de comprar algo e aquilo fica martelando na minha cabeça por dias seguidos, analiso bem, pesquiso preços e compro.
    Se foi aquele desejo louco que parecia necessário para a minha existência, mas nem lembro na semana seguinte, então nem perco tempo pensando mais no produto.

    Quanto mais estudo sobre Marketing mais enojada fico pelas estratégias usadas. São lógicas, fazem sentido, mas o marketing é o lado mais feio do capitalismo (só perde pra "escravidão" da China). E olha que eu sou uma grande fã do capitalismo, hahaha.

    Gastar é ótimo, adoro, mas hoje em dia não me dá o mesmo barato que dava. Muitas vezes quero muito algum produto, mas deixo de comprar porque não tenho coragem de comprometer o futuro só por um capricho, pois, a bem da verdade, eu realmente não preciso adquirir mais nada (a não ser comida) pelos próximos 2 anos, rs.

    Uma técnica que me ajudou muito também foi desassinar TODAS as newsletters de lojas online. Só pra dar um exemplo, eu era a rainha de comprar livro nas promoções do Submarino e Amazon. De pouquinho em pouquinho sempre gastava mais de R$200/mês. Não vejo problema em gastar com livros, mas sim em comprá-los e deixá-los guardados por anos a fio.
    Mudei a tática: comprei um Kindle, o que, automaticamente, me fez voltar a ler mais e agora só compro quando é alguma edição especial, geralmente em capa dura.
    Detalhe: isso já faz um ano e eu devo ter mais de 100 livros (físicos) ainda não lidos por aqui. Pois é.

    Me empolguei no comentário, desculpa, rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode se empolgar nos comentários quando quiser Ryca, comentários assim são sempre bem-vindos.
      "Gastar é ótimo, adoro, mas hoje em dia não me dá o mesmo barato que dava. Muitas vezes quero muito algum produto, mas deixo de comprar porque não tenho coragem de comprometer o futuro só por um capricho" - exatamente isso.

      Tinha me esquecido essa dica do newslatter, mas daqui a pouco edito o post (com os créditos). Pra isso, o Unroll.me é uma ferramenta que ajuda muito ;)

      O Kindle to pensando em comprar. Como estou estudando pra concurso, vou ler os livros que tenho e também não foram lidos e alguns que quero reler (no total devem somar uns 12).

      Excluir
  8. É sempre bom celebrar as vitórias! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito DH! E, sabendo usar esse "recurso", dá um gás, uma renovada!
      Abc

      Excluir
  9. Infelizmente, ainda tendo a continuar com Tv por assinatura. O motivo é que assisto uns programas que só passam em TV fechada mesmo, como aqueles programas de carros, relíquias e restaurações que passam no History Channel, Discovery, Nat Geo e outros, e também gosto de assistir programas de sobrevivência e daqueles ermitões (como Homens da Montanha e Fugidos do Caos). Ah, e um programa que gosto muito de ver é O Mundo Vista de Cima.

    São alguns dos poucos momentos que tiro para relaxar e ver um pouco do meu futuro sonho (ir morar numa montanha e curtir um pouco a vida na terra do tio Sam).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Só vale a pena pensar se vale a pena todo esse tempo gasto vendo programas de TV. Se acha q sim, ok. Se não, uma boa ideia é produzir mais, arrumar novas formas de ganhar dinheiro ou de fazer algo que lhe traga um retorno financeiro.
      Também pode passar o tempo com a família, se isso for muito bom pra você!

      Excluir
    2. Uma alternativa que tem funcionado comigo é o ponto adicional "furtado" da casa dos meus pais. Lá em cara eram dois pontos, um na sala e um no meu quarto. Saí de casa e simplesmente pedi a meus pais para levar e ele está comigo sem custos :D
      Como não está fácil para ninguém, ano que vem ( a pedido deles, após muita insistência minha) vamos reduzir o pacote.

      Excluir
  10. Venha ver a sua colocação no ranking geral!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pronto. Já coloquei as informações lá! Ah! Mas não estou na lista previamente divulgada.

      Excluir
    2. Olá funcionário público investidor gostaria de pedir desculpas como um amigo e não como um blogueiro. Logo você que incentiva o projeto desde o início teve os seus dados perdidos e o seu ranking omitido, no dia 05 (dia da estréia) você terá todos os seus dados e informações concertados. Obrigado pela paciência amigao!

      Excluir
    3. Nem tem pq pedir desculpas, mas agradeço a gentileza! Desculpas mais que aceitas.
      São muitos os dados, não é nada fácil administrar.
      Agradeço pela inclusão no ranking.

      Espero que mantenha o ânimo forte pra manter o ranking!
      Talvez tenha alguma forma da galera ajudar.

      Abc

      Excluir
  11. A propósito, o novo layout ficou bem legal. Essas fontes verdes combinam com esse fundo cor de grana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, estava mesmo esperando o Feedback de alguém...
      Não achei algum legal que lembrasse "funcionário público", os que colei, que mesas atoladas em burocracia (infelizmente em boa parte do funcionarismo é assim, por questões multifatoriais), mas estava horrível a visibilidade

      Excluir
  12. Alimentação é meu maior vilão... tem meses que no meu balanço a alimentação é um "pico"...
    Estou trabalhando nisso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um dos meus grandes problemas no orçamento. Mas qse sempre é Pq saio com a família e ou com "amigas" no fds.
      Tente cozinhar coisas chave no domingo, pra ter o q levar a semana toda

      Excluir
  13. No meu caso, comer fora, acompanhando de uma cervejinha, é meu calo. Não vou a lugares caros, mas no final do mês o valor gasto é sempre alto.
    Pra driblar isso, estou bem atento à promoções de carne nos supermercados. Sempre que posso, compro uma peça boa e barata, pra fazer em casa.

    Iniciei meu blog agora, se puder, dá uma passada lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode deixar, visitarei sim CA.
      Eu evito beber fora de casa. Até Pq geralmente estou dirigindo. Nesses casos beber nunca é uma possibilidade. Isso já reduz um pouco a conta.
      Além de ficar atento às promoções, aprenda a usar outros cortes, não convencionais e mais baratos. Podem ficar muito saborosos tb!
      Abc, e bem-vindo

      Excluir
  14. Buenas, FPI! Eu uso basicamente as mesmas estratégias suas, mas a lista dos desejos (necessidades) é essencial, assim programo o que comprar e o prazo para isso. Obviamente que com dois filhos, alguns não recorrentes são inevitáveis.

    Mas, de todas as medidas que tomei para reduzir os gastos as que deram mais certo foram as mais radicais:
    1. aportar antes de gastar (pagar a você primeiro) e
    2. comprar tudo à vista. O primeiro passo para isso foi zerar as compras parceladas no cartão de crédito e, depois, parar de usar o cartão de crédito e usar somente o débito. Atualmente uso o crédito muito esporadicamente.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. To pensando em passar a pagar mais coisas a vista também. É que muita coisa, ao pagar a vista mesmo em dinheiro, vc não consegue um desconto. Aí acabo parcelando. Mas busco fazer poucas parcelas. Esse ano tive dois gastos maiores que pesaram, mas é assim mesmo. Estou estudando e isso consome muitos recursos financeiros. Além disso a estafa mental pra concursos de alto nível é extrema. Por vezes me permito uma saída, viagem, restaurantes mais caro, mesmo como válvula de escape.
      Vocês não fazem ideia de quantas pessoas recorrem a psicólogos e psiquiatras quando estão em concursos. A pressão é enorme.
      Vou passar a adotar essa sua estratégia 1,que tb li num livro, e a 2,quando for melhor q pagar no crédito (se bem q, 90% das minhas compras no crédito são a vista - parcela única). Mas tu me deu uma ideia aqui. Qdo for mais vantajoso pagar em $ vivo, faço... Metade do valor economizado vai pra uma corretora. Obrigado pela ideia e pela visita. Abc

      Excluir
  15. Olá FPI,
    Eu nunca fui muito gastador, meu maior problema sempre foi que eu nunca tive muito cuidado com o que eu comprava, então perdia muita coisa, quebrava muita coisa, e sempre precisava compra de novo.

    Na parte de alimentação por enquanto não abro mão de almoçar fora todo dia, mesmo podendo levar marmita para o trabalho acho um saco cozinhar, na hora do almoço aproveito para andar até o restaurante e dar uma espairecida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Frugal Ser, seu perfil sumiu.
      É preciso cuidar bem das coisas e busque fazê-las durar, ou faças gastar, como escrevi no artigo ´Fazendo as coisas “gastarem”: a minha lista atual´ https://funcionariopublicoinvestidor.blogspot.com.br/2016/08/fazendo-as-coisas-gastarem-minha-lista.html

      Bem, almoçar fora, cozinhar, etc, é muito polêmico. Vale a pena pensar nessa hipótese, mas cada um sabe "onde o calo aperta".
      Boa sorte-
      Abc

      Excluir
  16. Olá amigo, fiz um blog de finanças e de betismos legal. Acompanha lá e dá uma força. Adicionarei você no meu blogroll, adiciona aí meu blog também! Um abraço!

    Pobre-diabo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Boas,

    Gastar é maravilhoso kkkkk

    Parabéns pela determinação

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Bacana o blog,não conhecia!
    Também estudo para concursos, área fiscal!!!!

    Boa sorte amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sucesso Cara!
      Muito sucesso!

      Lembre-se concurso não é prova de 100m rasos, é maratona!

      Excluir
  20. Caramba, fantástico artigo!

    Gostei muito do item 5: celebrar as pequenas conquistas. Servem como um motivador para que você continue nos trilhos.

    Abraços, e vamos divulgar esse artigo nessa semana da Black Friday!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Guilherme, sempre visito seu site tb!
      Volte mais vezes!

      Abc

      Excluir
  21. Olá Funcionário Público, tudo na paz?

    Obrigado por ter publicado esse artigo! Seu texto é um ótimo incentivador para melhorar os hábitos de consumo de muitos.

    Inclusive, ele serviu de referência para que eu criasse o artigo "Como conquistar a Independência Financeira? 3 regras fundamentais que você precisa praticar".

    Gostaria de mostrar o resultado desse trabalho que teve, de forma indireta, a sua participação.

    Link do artigo:
    http://vamosprosperar.com/como-conquistar-independencia-financeira/


    Então, grande abraço e continue realizando esse ótimo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Samuel Vinícius, visitarei seu site para conhecer!
      Agradeço a referência!
      Abraço e volte mais vezes

      Excluir
  22. Olá!Achei interessante o seu blog..
    Eu e meu marido, principalmente eu, gosto muito de poupar, e adquirir coisas com boa qualidade sem gastar o desnecessário, e deixar de lado coisas supérfluas. Fiz um blog para registrar as etapas da construção da nossa casa, mas antes já tínhamos comprado uma casa por financiamento, mas houve uma valorização, e conseguimos quitar e ainda sobrou um quantia considerável para a compra do terreno e documentação, e para o começo da construção, mas para terminar num tempo menor decidimos pelo financiamento,e assim sair do aluguel. Acredito que foi o melhor negócio que fizemos. No seu post você comenta sobre itens do cotidiano que ao somar no final do mês e ano acaba dando um montante significativo na renda, e depois nos perguntamos se realmente era necessário. Já fazia uns 6 anos que eu tinha TV paga, mas não aproveitei nem 90% dos canais, e tinha mês que nem ligava a televisão. Já faz 2 meses que mudamos, e não está fazendo a mínima falta, e estamos economizando um bom dinheiro, o pacote TV+internet e telefone pagava em torno de R$200,00, e agora estou apenas com a internet por R$80,00, e eu e meu irmão fizemos o plano da netflix que compensa ao querer assistir um filme ...Desculpe pelo post grande!! Gostei do seu blog... Abraços!!

    http://odiariodaconstrucao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Opa!

    Estou passando aqui para informar que a Linha de Tempo da Finansfera já está no ar. Seu blog foi incluído. Se detectar algum erro de link me fale.

    Compartilhe esta ideia mas suas redes sociais para incentivarmos novos blogueiros.

    http://abacusliquid.com/blogosfera/finansfera-timeline/

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  24. Olá, FPI!

    Tem algumas estratégias que eu já faço, como escrever as coisas que eu tenho vontade de comprar numa wishlist e avaliar custo-benefício, reconfigurar o mindset, adotar um estilo mais simples e frugal e ter meus objetivos maiores para constantemente me motivar a poupar e investir e entender que os "sacrifícios" de hoje serão recompensados no futuro.

    Um abraço!

    ResponderExcluir